CABOCLOS E PRETOS-VELHOS EM REUNIÕES ESPÍRITAS

A manifestação de espíritos de caboclos e pretos-velhos benévolos pode ser aceita em reuniões mediúnicas espíritas?

Como é de praxe, a primeira providência é verificar se esses espíritos de caboclos e pretos-velhos são realmente bondosos. Aliás, como devemos fazer com todos os desencarnados. Para tanto, basta empregar o método de avaliação praticado por Kardec.

Se esses espíritos de caboclos e pretos-velhos forem realmente benévolos, a segunda providência é avisar que magia benigna não é permitida em reuniões kardecistas porque o Espiritismo considera que o magismo é uma prática desnecessária.

Acredito que essas duas providências bastam para afastar todos os espíritos de caboclos e pretos-velhos que não quiserem se subordinar ao modelo kardecista.

Mas por que será que espíritos bondosos se manifestam nas reuniões como caboclos e pretos-velhos? Abaixo, vou arrolar algumas hipóteses que me vieram à cabeça.

PRIMEIRA HIPÓTESE

Os espíritos foram realmente índios e escravos negros em suas respectivas últimas encarnações e ainda trazem os condicionamentos dessas existências, incluindo o Português arrevezado.

Esse linguajar não deve ser motivo de preconceito. Por que aceitamos um espírito com sotaque alemão e encrencamos com o modo de falar dos espíritos de caboclos e pretos-velhos?

SEGUNDA HIPÓTESE

Os  espíritos estão homenageando uma reencarnação mais antiga como índios e escravos negros.

Se Emmanuel aparece como senador romano e Joanna de Ângelis como freira, por que um espírito não pode homenagear um reencarnação mais antiga como indígena e negro escravizado.

TERCEIRA HIPÓTESE

Os espíritos nunca foram índios e escravos negros, mas estão se apresentando assim como compensação cármica por terem causado malefícios a essas etnias.

QUARTA HIPÓTESE

Os espíritos nunca foram índios e escravos negros, mas estão se apresentando assim por considerarem que isso é uma demonstração de humildade.

Neste caso, devemos explicar que essa demonstração de humildade é dispensável.

QUINTA HIPÓTESE

Os espíritos nunca foram índios e escravos negros, mas estão se apresentando assim porque se utilizam dessa aparência na Umbanda.

Neste caso, devemos explicar que essa aparência é desnecessária numa reunião espírita. Em caso de insistência dos espiritos nesse tipo de formato, debater, avaliar e decidir o que fazer.

Como descobrir em qual situação acima os espíritos se enquadram? Ora, perguntando para eles. Se os espíritos faltarem com a verdade, vão acabar se traindo no futuro.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s